CPMult, o verdadeiro organomineral
CPMult, o verdadeiro organomineral

CPMult, o verdadeiro organomineral

O Brasil é a 10ª economia do planeta, tem uma população de 212 milhões de habitantes, quarto maior consumidor de fertilizantes do mundo. Nosso AGRO caminha para ser o maior do mundo e, neste ano, é estimado que as atividades agrícolas e pecuárias geram receita de mais de 1 trilhão de reais. Porém, há um gargalo no setor de fertilizantes do País, importamos mais de 50% do P, 76% do N e cerca de 96% do K. Existem pesquisas de fomento ao desenvolvimento do País que mostram o potencial de produzir no Brasil fertilizantes a partir de matérias-primas que, hoje, ou são subutilizadas, ou são descartadas de modo inadequado no ambiente, poluindo a água, ar e outras riquezas.

Há nutrientes e substâncias nessas matérias-primas capazes de substituir, pelo menos, 30% do NPK que importamos. Não é fácil, tampouco, barato ciclar todos esses nutrientes e a energia que há nesses resíduos orgânicos, mas isso já está sendo feito. Existe um parque industrial pujante de empresas que sintetizam adubos organominerais. Do ponto de vista comercial, muitas dessas empresas sairão do mercado nos próximos anos, pois haverá uma grande competição para a conquista de fatias maiores de mercado e de consolidação de planos de negócios.

Nesse sentido, quem se consolidar serão as empresas mais tecnificadas, integras e ambientalmente responsáveis, que adotam práticas modernas de síntese de fertilizantes organominerais e produzem um adubo de elevado valor agronômico. Irão remanescer no mercado os players que produzem bons fertilizantes, possuem estratégia comercial e visão de negócios de médio e longo prazo e, mais do que vender fertilizantes, ofertam serviços customizados a seus clientes.

Os fertilizantes minerais disponíveis no mercado têm eficiência comprovada. Porém, eles foram idealizados para as condições de solos de maior grau de fertilidade, ou seja, para os ambientes de clima temperado, portanto, eles não são as fontes mais eficazes de nutrientes no ambiente do solo tropical. Assim, a tecnologia de organominerais avançara nos próximos anos, a taxas que ultrapassam o crescimento de 20% ao ano. Se o prêmio é grande para aqueles que conseguem avançar no setor, os desafios são maiores ainda. Os desafios se assentam tanto nos processos industriais quanto no atendimento de demandas específicas do consumidor de fertilizantes.

Além disso, há uma conscientização maior da sociedade por insumos que pouco poluem o ambiente, e com o setor de fertilizantes não é diferente. Os adubos formulados à base de matrizes orgânicas, se bem sintetizados, estão alinhados com os preceitos modernos de nutrição de plantas e proteção do solo, água, plantas e ar.

O CPMULT

Entendendo os desafios do cenário nacional no quesito fertilizantes a AgroCP há 8 anos, lançou seu fertilizante organomineral CPMult e desde então vem se especializando na construção, aprimoramento e melhoria das linhas de síntese, processos e matérias primas.

A tecnologia consiste na mistura de três fontes, uma fonte orgânica, uma fonte mineral e alguns aditivos. Essas três fontes quando combinadas, melhoram a eficiência do fertilizante, fazendo com que as perdas dos nutrientes por volatização, lixiviação e adsorção diminuam. Um dos benefícios do CPMULT é a melhoria nas características químicas, físicas e biológicas dos solos e no incremento das produtividades das lavouras cafeeiras. Dentre as características químicas, podemos destacar o aumento da CTC e do teor de matéria orgânica dos solos, devido a qualidade da nossa matriz orgânica humificada, que apresenta grande quantidade de ácidos húmicos e fúlvicos (substâncias húmicas) e também alta CTC. Essas características do nosso fertilizante organomineral são muito importantes para minimizar as perdas dos nutrientes nos solos brasileiros

Outra vantagem é a redução da mão-de-obra, sendo feita em apenas  uma ou duas parcelas no máximo, frente aos adubos convencionais que normalmente são feitos de 3 a 4 parcelamentos, que permite ao produtor ter mais tempo disponível para outros tratos culturais da lavoura.

Outra vantagem é a bioativação dos solos, melhorando a atividade microbiana no solo e que resulta em baixa salinidade, favorecendo o crescimento de raízes e uma lavoura mais homogênea apresentando crescimento vegetativo satisfatório para a safra seguinte.

Os organominerais da AgroCP começaram com o mercado de perenes, notadamente na cultura do café. Atividade a qual obteve-se um crescimento de 24x nesses oito anos, saindo de 6.000 hectares tratados chegando aos incríveis 150.000 hectares tratados no ano de 2021.

O CPMult caiu no gosto do cafeicultor pelos benefícios trazidos pelo fertilizante, doses mais ajustadas, menor número de aplicação e presença técnica no campo. Fazendo uma parceria estreita entre técnicos da empresa e produtores.